Primeiros dias após procedimento cirúrgico.


Hank passou por um procedimento cirúrgico no início do mês de junho de 2017. Realizou uma cirurgia para correção de uma hérnia umbilical e orquiectómica (castração).  Leia mais sobre o processo pré-operatório de Hank Pequinês.

Primeiras horas após a cirurgia.

Conforme já mencionamos no outro artigo, a cirurgia foi um sucesso e voltamos para casa.

Saímos do hospital veterinário e chegamos em casa em torno das 20hs. Hank estava acordado e aparentemente muito irritado, não conseguíamos distinguir se tinha dor ou incomodo. Hank comeu, tomou água, mas não queria caminhar e nem fazer as necessidades. Se acalmava por alguns instantes e logo ficava extremante irritado. Tivemos muitas tentativas mau sucedidas de tentar acalmá-lo, portando, decidimos ligar no hospital veterinário, no qual foi indicado adiantar o horário do medicamento para dor. Veterinário responsável também mencionou que isso poderia ser reação pós anestesia. Ele nos explicou que alguns cachorros reagem de formas diferentes, já alguns dormem muito após o procedimento.

Oferecemos medicação e aguardamos, mas nada, ele continuava muito agitado. Em torno da meia-noite, colocamos nosso colchão no chão para podermos cuidar melhor durante a noite. Ele se acalmava por alguns minutos e em seguida voltava a ficar irritado. Na tentativa de amenizar a agonia, optamos por tirar a roupa de cirurgia.

Hank se acalmou instantemente após a remoção da roupa. Ele foi aconchegando, parou de chorar e logo caiu no sono. Para garantir que não tentasse coçar ambos os locais da cirurgia, colocamos nele uma camiseta de algodão mais comprida na região do abdome. No decorrer da noite ele dormiu bem, porém dava algumas pequenas resmungadas quando trocava de posição. Nós, humanos do Hank, revessamos para que alguém ficasse acordado durante essa primeira noite.

Logo no início da manhã, Hank acordou, balançava o rabinho, mas não caminha muito. Chamávamos para fazer xixi, mas não queria fazer. Decidimos levá-lo na grama para fazer xixi, porém tivemos que colocar a roupa pós-cirúrgica para sair de casa e evitar contato da grama com os cortes. Hank novamente ficou um pouco irritado com a roupa, porém deixamos a roupinha mais solta na região do pescoço para que não apertasse tanto nos pontos. Levamos ele no colo e o colocamos na grama, ele caminhou um pouco e fez vários xixis, mas sem erguer a pata. Provavelmente esse foi o motivo no qual não queria fazer xixi dentro casa, estava desconfortável para erguer a pata e não queria fazer agachado (igual as fêmeas). Quando chegamos em casa, realizamos a limpeza das patas, removemos a roupa pós-cirúrgica e colocamos a camiseta novamente.  Durante os dois primeiros dois foi necessário levá-lo na grama várias vezes por dia, pois ele não queria fazer xixi dentro de casa, depois disso, voltou ao normal.


No decorrer do primeiro e segundo dia, Hank permaneceu deitado ou sentado, na maior parte do tempo, evitava caminhar e sempre queria alguém por perto. Aparentemente não tinha dor, apenas um desconforto no local. Estava se alimento bem, tomando bastante água e os remédios nos horários indicados.

3° dia

No terceiro dia após a cirurgia, ele estava muito melhor, já caminha pela casa, fazia as necessidades no tapete higiênico, brincava e estava alegre. Dava para perceber que ainda tinha desconforto nas regiões dos cortes.

4° dia

No quarto dia, começou a sentir um pouco de coceira em ambos os cortes, principalmente na região da correção hérnia. Como Hank não estava usando a roupa pós-cirúrgica, alguém o monitorava 24hs por dia.

5°  dia

No quinto dia a coceira diminuiu e Hank Pequinês estava mais tranquilo, mesmo assim, evitávamos de deixá-lo sozinho. Cuidávamos muito para ele não correr, mantendo sempre calmo e tranquilo.

7°  dias

Voltamos na clínica uma semana depois da cirurgia. Hank foi avaliado pelo médico veterinário e disse que estava tudo bem. A região da hérnia ainda estava um pouco avermelhada, mas o veterinário explicou que era normal, pois o corte era mais profundo, comparado com o corte da castração.

Hank ficou “de molho” em torno de uns 10 dias, aproximadamente. Tínhamos muito cuidado, para garantir que ele não sentisse dor e que a cicatrização  fosse um sucesso.  Ele tomou banho depois de 15 dias da cirurgia, o processo do banho foi realizado por nós em nossa casa.

Em um próximo post vamos contar o que mudou na vida do Hank Pequinês após a castração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *